top of page

Xangô

Dia: Quarta-Feira 

Data: 29 de Junho 
Metais: Cobre, ouro e chumbo. 
Cores: Vermelho, castanho e branco. 
Elementos: Fogo (grandes chamas, raios) e formações rochosas. 
Pedra: Rubi 
Domínios: Poder estatal, justiça e questões jurídicas.

 

 

Origem e História

 

Xangô nasce do poder e morre em nome do poder. Rei absoluto, forte, imbatível. As suas medidas, embora impostas, são sempre justas e honestas e, por isso, ele é, acima de tudo, um rei amado, pois é repressor por estilo, não por maldade. O poder mágico de Xangô reside no raio, no fogo que corta o céu, que destrói na Terra, mas que transforma, que protege, que ilumina o caminho. O fogo é a grande arma de Xangô, com a qual castiga aqueles que não honram o seu nome. Tudo o que se relaciona com Xangô lembra realeza: as suas vestes, a sua riqueza, a sua forma de gerir o poder. Xangô sempre foi um homem bonito e extremamente vaidoso, por isso conquistou todas a mulheres que quis. Xangô decide sobre a vida de todos, mas sobre a sua vida (e sua morte) só ele tem o direito de decidir. Ele é mais poderoso que a morte, razão pela qual passou a ser o seu anti-símbolo.

 

Características dos filhos de Xangô

 

Os filhos de Xangô têm um corpo sempre muito forte, com uma quantidade razoável de gordura, apontando a sua tendência à obesidade. Têm consciência de que são importantes e respeitáveis, portanto quando emitem a sua opinião é para encerrar definitivamente o assunto. A sua postura é sempre nobre, com a dignidade de um rei. A solidão é um de seus estigmas. Gostam do poder e do saber, que são os grandes objectos da sua vaidade. São amantes vigorosos: uma pessoa só não satisfaz um filho de Xangô. Está sempre cercado de muitas mulheres, sejam suas amantes, sejam suas ajudantes. A tendência é que aqueles que decidem ao seu lado sejam sempre homens.

bottom of page